O que é a dieta paleolítica?

Postado em 04/03/2024 às 11h:30

Já se sabe comprovadamente que uma boa alimentação é fundamental para a saúde e o bem-estar geral, afinal, ela fornece os nutrientes que o corpo necessita para funcionar corretamente, contribuindo a prevenir doenças e auxiliando para a manutenção de um peso saudável.

A conscientização sobre a importância de escolhas alimentares sustentáveis, aliada a uma compreensão das tendências dietéticas, capacita os indivíduos a tomar decisões informadas e duradouras, isso confirma que embora a adoção de uma alimentação equilibrada seja crucial, é fundamental também optar por uma dieta apropriada e eficiente.

Dentre as diversas opções de dietas à disposição, algumas têm destaque pela popularidade e pelos efeitos prometidos sendo as mais conhecidas: low carb, sem glúten, dieta carnívora e dieta vegetariana / dieta vegana, dieta cetogênica e a dieta paleolítica. 

Mas afinal, o que é a dieta paleolítica? 

A dieta paleolítica, também conhecida como dieta paleo, é uma opção que vem ganhando popularidade nos últimos anos. Essa dieta baseia-se no tipo de alimentação que os nossos ancestrais caçadores-coletores consumiam durante o período paleolítico.
A dieta paleo é rica em frutas, legumes, verduras, carnes magras, nozes e sementes, e exclui alimentos processados, grãos, laticínios e açúcares refinados.

A dieta paleo tem sido associada a diversos benefícios para a saúde, incluindo:

Perda de peso: Estudos demonstram que a dieta paleo pode ajudar a perder peso de forma eficaz e sustentável.
Melhora da saúde cardiovascular: A dieta paleo pode reduzir o risco de doenças cardíacas, diminuindo os níveis de colesterol e triglicérides no sangue.
Redução da inflamação: Ajuda a reduzir a inflamação no corpo, o que pode contribuir para a prevenção de diversas doenças crônicas.
Melhora da saúde digestiva: Pode melhorar a saúde digestiva, aumentando a saciedade e regularizando o intestino.

Alimentos permitidos em uma dieta paleolítica são:

Carnes: cortes magros de carne bovina, suína, cordeiro, aves, peixes e frutos do mar.
Vegetais: todos os tipos de vegetais frescos, como brócolis, couve-flor, couve, espinafre, repolho, pimentão, cebola, alho, cenoura, abobrinha, berinjela, tomate e pepino.
Frutas: todas as frutas frescas, como maçãs, bananas, laranjas, uva, morango, melão, melancia e abacaxi.
Nozes e sementes: amêndoas, nozes, castanhas, castanhas de caju, pistaches, sementes de girassol, sementes de abóbora e sementes de chia.
Tubérculos e raízes: batata doce, mandioca, inhame e taro.
Gorduras saudáveis: azeite de oliva, óleo de coco, óleo de abacate e manteiga.

Antes de adotar uma dieta, lembre-se que esses programas são importantes para a saúde, mas é importante escolher uma que seja adequada às suas necessidades individuais, afinal, não existe uma abordagem única que funcione para todos, afinal, as necessidades nutricionais variam de pessoa para pessoa, portanto é crucial buscar a orientação de um especialista e ter o devido acompanhamento para alcançar o resultado desejado. 

Pode te interessar também: Dieta low carb emagrece mais?

Veja também

Comer emocional e emagrecimento

O comportamento alimentar é influenciado pela cultura, pelo ambiente familiar, idade, por fatores psicológicos e até pela genética.

Quais os benefícios de caminhar?

A caminhada é um exercício físico simples e eficaz que pode trazer muitos benefícios para a saúde, tanto física quanto mental.

Existe obesidade saudável?

A obesidade é uma doença multifatorial sendo alguns indivíduos mais suscetíveis ao fator genético, enquanto outros aos fatores ambientais.